Quem sou eu

Minha foto
Macaé, Rio de Janeiro, Brazil
Nascida em Niterói veio para Macaé por motivos profissionais em 1976, um pouco antes do casamento à trinta anos, atuou como eletrotécnica até a aposentadoria e a partir daí gasta o tempo livre com o que chama de "MINHA DISTRAÇÃO, MINHA ARTE". Acredita que nesta vida nada e por acaso, tudo faz parte de um processo para nos tornar-mos pessoas melhores.

Faça contato com:

zeniapessanha@yahoo.com.br
#artesanatosbyzenia

segunda-feira, 2 de fevereiro de 2009

Meu nome é felicidade

Meu nome e felicidade
Faço parte da vida daqueles que tem amigos,

pois ter amigos é ser Feliz.

Faço parte da vida daqueles que vivem
cercados por pessoas como você,
pois viver assim é ser Feliz!

Faço parte da vida daqueles que acreditam
que ontem é passado, amanhã é futuro
e hoje é uma dádiva,
por isso chamado presente.

Faço parte da vida daqueles
que acreditam na força do Amor,
que acreditam que para uma história
bonita não há ponto final.

Eu sou casada, sabiam?
Sou casada com o Tempo.

Ah... O tempo é lindo!
Ele resolve todos os problemas.
Ele reconstrói corações, ele cura machucados,
ele vence a Tristeza...

Juntos, eu e o Tempo tivemos três filhos:
A Amizade, a Sabedoria e o Amor.

A Amizade é a filha mais velha.
Uma menina linda, sincera, alegre.
A Amizade brilha como o sol...
A Amizade une pessoas,
pretende nunca ferir, sempre consolar.

A do meio é a Sabedoria...culta, íntegra
,sempre foi mais apegada ao Pai, o Tempo.
A Sabedoria e o Tempo andam sempre juntos!

O caçula é o Amor.
Ah! como esse me dá trabalho!
É teimoso, às vezes só quer morar em um lugar...
Eu vivo dizendo:
Amor, você foi feito para morar em dois corações,
não em apenas um...
O Amor é complexo, mas é lindo, muito lindo!

Quando ele começa a fazer estragos
eu chamo logo o pai dele, o Tempo...
e aí o Tempo sai fechando todas as feridas que o Amor abriu!

Uma pessoa muito importante me ensinou uma coisa...
Tudo no final sempre dá certo,
se ainda não deu, é porque não chegou o final.

Por isso, acredite sempre na minha família!
Acredite no Tempo, na Amizade,
na Sabedoria e principalmente no Amor...

Aí, com certeza um dia, eu, a Felicidade,
baterei à sua porta !

Tenha Tempo para os Sonhos...
Eles conduzem sua carruagem para as Estrelas!


(desconheço a autoria)

Origem do Ponto Cruz

Quando estamos a bordar um ponto sobre outro formando uma cruz, não pensamos que estamos repetindo um gesto muito antigo, que atravessa nossa história e cultura.

Determinar exatamente a época em que surgiu o primeiro ponto cruz é difícil, mas vários estudos indicam que ele já existia em tempos muito antigos:
- Há registros da pré-história, o ponto cruz servia para costurar vestimentas.
- Fragmentos de linhos datados de 5000 a.C, retirados de túmulos egípcios em escavações arqueológicas, revelaram que o ponto cruz era usado para cerzir peças de tecido.
- Trabalhos com pontos semelhantes ao ponto cruz foram encontrados por pesquisadores na Ásia Central e datam aproximadamente 850 a. C.
- Na antiguidade, os romanos descreviam o bordado como "a pintura de uma agulha", mas dizem que foram os babilônios que batizaram esta técnica.
- Na forma que é utilizada hoje, existe controvérsias sobre a origem, fala-se que tenha surgido na China e levado para a Europa.
- Outra versão é que começou na Idade Média pela Europa, Estados Unidos e principalmente na Inglaterra, onde foram encontrado trabalhos datado em torno de 1500.
Desde os primórdios, o Oriente é citado como berço deste ponto. Mas é no período do Renascimento que o ponto cruz começa realmente a tomar a forma que conhecemos hoje e a se aprimorar.
No século XVI, o bordado em ponto cruz era feito com fios de seda ou de lã sobre tecido de linho. Datam também desta época, os primeiros esquemas, impressos na Alemanha e na Itália, para serem vendidos em toda a Europa. Antes desta iniciativa, a única que se conhece é o livro publicado na França por volta de 1580.
Com os motivos impressos distribuidos largamente, os tradicionais monogramas ou abecedários que eram passados de mãe para filha, usados para sua alfabetização e aprendizado de algarismos e sinais, ganhou ares mais decorativos. O ponto cruz descobre uma nova vocação: além do uso pedagógico passa a ser adotado também como hobby, sem dúvida, seu potencial de mercado logo foi notado.
A mesma era que serviu de cenário à popularização do ponto cruz, assistiu os viajantes descobrirem a riqueza de matérias-primas nas novas colônias. Pigmentos nunca vistos anteriormente foram levados do Oriente e das Américas parar a Europa, graças a eles, uma futura gama de cores e de materiais se tornara possível.
Desde a idade média até os dias atuais o prestígio do ponto cruz nunca diminuiu. Os motivos ganharam novas inspirações e muita vitalidade, levando os trabalhos ás possibilidade de enriquecer a decoração, dar ares de criatividade e também valorizar a habilidade manual, chegando aos nossos dias super atualizados.

Fontes: Revista Manequim Ponto Cruz n 58
Ponto Cruz e Cia
http://www.vocefazartezanato.com.br

Costurando

Costurando

Irmão

Irmão
Minha homenagem e minha saudade.

GRÁFICO GRÁTIS

Para conseguir qualquer gráfico dos trabalhos aqui postados, é só mandar seu pedido para o email: zeniapessanha@yahoo.com.br

Gráficos para bordados em Ponto Cruz

Gostou?... Só pedir que mando